Chuta o pau da barraca!

Jesus se expressava com mansidão, mas em diversas ocasiões podemos observar que ele era enérgico e direto, demonstrando a sua autoridade. Mas, há um relato que se apresenta nos 3 evangelhos sinópticos em que Jesus utilizou de força física: na (segunda) Limpeza do Templo (ou a epígrafe também pode ser: Jesus expulsando os vendilhões). No evangelho de João é relatada a primeira vez em que o Senhor purificou o Templo.

Em Mateus 21.12-13:

“E entrou Jesus no templo de Deus, e expulsou todos os que vendiam e compravam no templo, e derribou as mesas dos cambistas e as cadeiras dos que vendiam pombas;
E disse-lhes: Está escrito: A minha casa será chamada casa de oração; mas vós a tendes convertido em covil de ladrões.”

 

Image

As tendas dos mercadores e cambistas ficavam no átrio dos gentios. Ficavam no meio da multidão de pessoas que iam a Jerusalém para adorar a Deus. Os mercadores vendiam os animais para sacrificio por preços exorbitantes, se aproveitando daqueles que vinham de muito longe e dessa forma, não poderiam trazer de casa os animais para o holocausto.
Essa atividade comercial exercida na casa de Deus, frustrava as pessoas que procuravam adorá-Lo, tornando o sacrifício amargo.
Todo sacrifício a Deus deve ser feito com alegria. O comércio no Templo atrapalhava a adoração a Deus. Com certeza, isso deixou Jesus “enfurecido.” Tudo que atrapalha nossa adoração ao Senhor deve ser lançado fora.
Essa sanção que proibia o comércio no Templo arruinava os sacerdotes (fariseus) financeiramente.

Qualquer semelhança com o que acontece hoje no Brasil…

Diante de tudo que está acontecendo, devemos tomar uma posição. Se observarmos os ensinamentos de Jesus, entendemos que devemos fazer a diferença nesse mundo. Com nossas atitudes, com nossa santidade.

Image

O apóstolo Paulo endossa essa posição em sua Epístola aos Romanos no capítulo 12.2:

“E não sede conformados com este mundo, mas sede transformados pela renovação do vosso entendimento, para que experimenteis qual seja a boa, agradável, e perfeita vontade de Deus.”

Cristãos, vamos nos posicionar, protestar! Com ordem e decência. #ogiganteacordou #vemprarua
Amém? 😉

Anúncios

Realize

O autêntico, o verdadeiro grande talento descobre as suas maiores alegrias na realização.

Johann Goethe

E a um deu cinco talentos, e a outro dois, e a outro um, a cada um segundo a sua capacidade, e ausentou-se logo para longe.

E, tendo ele partido, o que recebera cinco talentos negociou com eles, e granjeou outros cinco talentos.

Da mesma sorte, o que recebera dois, granjeou também outros dois.

Mas o que recebera um, foi e cavou na terra e escondeu o dinheiro do seu senhor.

E muito tempo depois veio o senhor daqueles servos, e fez contas com eles.

Então aproximou-se o que recebera cinco talentos, e trouxe-lhe outros cinco talentos, dizendo: Senhor, entregaste-me cinco talentos; eis aqui outros cinco talentos que granjeei com eles.

E o seu senhor lhe disse: Bem está, servo bom e fiel. Sobre o pouco foste fiel, sobre muito te colocarei; entra no gozo do teu senhor.

E, chegando também o que tinha recebido dois talentos, disse: Senhor, entregaste-me dois talentos; eis que com eles granjeei outros dois talentos.

Disse-lhe o seu senhor: Bem está, bom e fiel servo. Sobre o pouco foste fiel, sobre muito te colocarei; entra no gozo do teu senhor.

Mas, chegando também o que recebera um talento, disse: Senhor, eu conhecia-te, que és um homem duro, que ceifas onde não semeaste e ajuntas onde não espalhaste;

E, atemorizado, escondi na terra o teu talento; aqui tens o que é teu.

Respondendo, porém, o seu senhor, disse-lhe: Mau e negligente servo; sabias que ceifo onde não semeei e ajunto onde não espalhei?

Devias então ter dado o meu dinheiro aos banqueiros e, quando eu viesse, receberia o meu com os juros.

Tirai-lhe pois o talento, e dai-o ao que tem os dez talentos.

Porque a qualquer que tiver será dado, e terá em abundância; mas ao que não tiver até o que tem ser-lhe-á tirado.

Lançai, pois, o servo inútil nas trevas exteriores; ali haverá pranto e ranger de dentes.
Mateus 25:15-30

 

Podemos observar na Parábola dos Talentos, que o senhor daqueles servos dividiu o dinheiro entre eles de acordo com a capacidade de cada um. Ninguém recebeu recursos maiores ou menores que as suas habilidades. Assim, a sobrecarga não poderia ser desculpa caso um deles falhasse na missão.

Image

O ouro representa qualquer bem, dom ou recurso que recebemos de Deus. O Senhor espera que os Talentos sejam investidos com diligência até a Sua volta…

A questão aqui não é o que temos ou quanto temos, mas como usamos o que temos.

Conclui-se que o terceiro servo enterra o Talento por preguiça ou falta de compromisso com a Obra. Cautela, medo são apenas desculpas.

Image

Nós devemos obedecer a Deus com toda disposição, pois tudo que pensamos ter é empréstimo do Senhor. Não somos proprietários do tempo, dinheiro, dons… somos apenas seus guardiões.

Deus quer que os Talentos sejam multiplicados. Nós vamos encarar as consequências das nossas atitudes em relação ao investimento ou desperdício do Talento. Nós prestaremos contas quando o Senhor voltar. 

Parábola dos Talentos, Mateus 25.14-30

E a um deu cinco talentos, e a outro dois, e a outro um, a cada um segundo a sua capacidade, e ausentou-se logo para longe.

E, tendo ele partido, o que recebera cinco talentos negociou com eles, e granjeou outros cinco talentos.

Da mesma sorte, o que recebera dois, granjeou também outros dois.

Mas o que recebera um, foi e cavou na terra e escondeu o dinheiro do seu senhor.

E muito tempo depois veio o senhor daqueles servos, e fez contas com eles.

Então aproximou-se o que recebera cinco talentos, e trouxe-lhe outros cinco talentos, dizendo: Senhor, entregaste-me cinco talentos; eis aqui outros cinco talentos que granjeei com eles.

E o seu senhor lhe disse: Bem está, servo bom e fiel. Sobre o pouco foste fiel, sobre muito te colocarei; entra no gozo do teu senhor.

E, chegando também o que tinha recebido dois talentos, disse: Senhor, entregaste-me dois talentos; eis que com eles granjeei outros dois talentos.

Disse-lhe o seu senhor: Bem está, bom e fiel servo. Sobre o pouco foste fiel, sobre muito te colocarei; entra no gozo do teu senhor.

Mas, chegando também o que recebera um talento, disse: Senhor, eu conhecia-te, que és um homem duro, que ceifas onde não semeaste e ajuntas onde não espalhaste;

E, atemorizado, escondi na terra o teu talento; aqui tens o que é teu.

Respondendo, porém, o seu senhor, disse-lhe: Mau e negligente servo; sabias que ceifo onde não semeei e ajunto onde não espalhei?

Devias então ter dado o meu dinheiro aos banqueiros e, quando eu viesse, receberia o meu com os juros.

Tirai-lhe pois o talento, e dai-o ao que tem os dez talentos.

Porque a qualquer que tiver será dado, e terá em abundância; mas ao que não tiver até o que tem ser-lhe-á tirado.

Lançai, pois, o servo inútil nas trevas exteriores; ali haverá pranto e ranger de dentes.
Mateus 25:15-30

E a um deu cinco talentos, e a outro dois, e a outro um, a cada um segundo a sua capacidade, e ausentou-se logo para longe.

E, tendo ele partido, o que recebera cinco talentos negociou com eles, e granjeou outros cinco talentos.

Da mesma sorte, o que recebera dois, granjeou também outros dois.

Mas o que recebera um, foi e cavou na terra e escondeu o dinheiro do seu senhor.

E muito tempo depois veio o senhor daqueles servos, e fez contas com eles.

Então aproximou-se o que recebera cinco talentos, e trouxe-lhe outros cinco talentos, dizendo: Senhor, entregaste-me cinco talentos; eis aqui outros cinco talentos que granjeei com eles.

E o seu senhor lhe disse: Bem está, servo bom e fiel. Sobre o pouco foste fiel, sobre muito te colocarei; entra no gozo do teu senhor.

E, chegando também o que tinha recebido dois talentos, disse: Senhor, entregaste-me dois talentos; eis que com eles granjeei outros dois talentos.

Disse-lhe o seu senhor: Bem está, bom e fiel servo. Sobre o pouco foste fiel, sobre muito te colocarei; entra no gozo do teu senhor.

Mas, chegando também o que recebera um talento, disse: Senhor, eu conhecia-te, que és um homem duro, que ceifas onde não semeaste e ajuntas onde não espalhaste;

E, atemorizado, escondi na terra o teu talento; aqui tens o que é teu.

Respondendo, porém, o seu senhor, disse-lhe: Mau e negligente servo; sabias que ceifo onde não semeei e ajunto onde não espalhei?

Devias então ter dado o meu dinheiro aos banqueiros e, quando eu viesse, receberia o meu com os juros.

Tirai-lhe pois o talento, e dai-o ao que tem os dez talentos.

Porque a qualquer que tiver será dado, e terá em abundância; mas ao que não tiver até o que tem ser-lhe-á tirado.

Lançai, pois, o servo inútil nas trevas exteriores; ali haverá pranto e ranger de dentes.
Mateus 25:15-30

E a um deu cinco talentos, e a outro dois, e a outro um, a cada um segundo a sua capacidade, e ausentou-se logo para longe.

E, tendo ele partido, o que recebera cinco talentos negociou com eles, e granjeou outros cinco talentos.

Da mesma sorte, o que recebera dois, granjeou também outros dois.

Mas o que recebera um, foi e cavou na terra e escondeu o dinheiro do seu senhor.

E muito tempo depois veio o senhor daqueles servos, e fez contas com eles.

Então aproximou-se o que recebera cinco talentos, e trouxe-lhe outros cinco talentos, dizendo: Senhor, entregaste-me cinco talentos; eis aqui outros cinco talentos que granjeei com eles.

E o seu senhor lhe disse: Bem está, servo bom e fiel. Sobre o pouco foste fiel, sobre muito te colocarei; entra no gozo do teu senhor.

E, chegando também o que tinha recebido dois talentos, disse: Senhor, entregaste-me dois talentos; eis que com eles granjeei outros dois talentos.

Disse-lhe o seu senhor: Bem está, bom e fiel servo. Sobre o pouco foste fiel, sobre muito te colocarei; entra no gozo do teu senhor.

Mas, chegando também o que recebera um talento, disse: Senhor, eu conhecia-te, que és um homem duro, que ceifas onde não semeaste e ajuntas onde não espalhaste;

E, atemorizado, escondi na terra o teu talento; aqui tens o que é teu.

Respondendo, porém, o seu senhor, disse-lhe: Mau e negligente servo; sabias que ceifo onde não semeei e ajunto onde não espalhei?

Devias então ter dado o meu dinheiro aos banqueiros e, quando eu viesse, receberia o meu com os juros.

Tirai-lhe pois o talento, e dai-o ao que tem os dez talentos.

Porque a qualquer que tiver será dado, e terá em abundância; mas ao que não tiver até o que tem ser-lhe-á tirado.

Lançai, pois, o servo inútil nas trevas exteriores; ali haverá pranto e ranger de dentes.
Mateus 25:15-30

E a um deu cinco talentos, e a outro dois, e a outro um, a cada um segundo a sua capacidade, e ausentou-se logo para longe.

E, tendo ele partido, o que recebera cinco talentos negociou com eles, e granjeou outros cinco talentos.

Da mesma sorte, o que recebera dois, granjeou também outros dois.

Mas o que recebera um, foi e cavou na terra e escondeu o dinheiro do seu senhor.

E muito tempo depois veio o senhor daqueles servos, e fez contas com eles.

Então aproximou-se o que recebera cinco talentos, e trouxe-lhe outros cinco talentos, dizendo: Senhor, entregaste-me cinco talentos; eis aqui outros cinco talentos que granjeei com eles.

E o seu senhor lhe disse: Bem está, servo bom e fiel. Sobre o pouco foste fiel, sobre muito te colocarei; entra no gozo do teu senhor.

E, chegando também o que tinha recebido dois talentos, disse: Senhor, entregaste-me dois talentos; eis que com eles granjeei outros dois talentos.

Disse-lhe o seu senhor: Bem está, bom e fiel servo. Sobre o pouco foste fiel, sobre muito te colocarei; entra no gozo do teu senhor.

Mas, chegando também o que recebera um talento, disse: Senhor, eu conhecia-te, que és um homem duro, que ceifas onde não semeaste e ajuntas onde não espalhaste;

E, atemorizado, escondi na terra o teu talento; aqui tens o que é teu.

Respondendo, porém, o seu senhor, disse-lhe: Mau e negligente servo; sabias que ceifo onde não semeei e ajunto onde não espalhei?

Devias então ter dado o meu dinheiro aos banqueiros e, quando eu viesse, receberia o meu com os juros.

Tirai-lhe pois o talento, e dai-o ao que tem os dez talentos.

Porque a qualquer que tiver será dado, e terá em abundância; mas ao que não tiver até o que tem ser-lhe-á tirado.

Lançai, pois, o servo inútil nas trevas exteriores; ali haverá pranto e ranger de dentes.
Mateus 25:15-30

E a um deu cinco talentos, e a outro dois, e a outro um, a cada um segundo a sua capacidade, e ausentou-se logo para longe.

E, tendo ele partido, o que recebera cinco talentos negociou com eles, e granjeou outros cinco talentos.

Da mesma sorte, o que recebera dois, granjeou também outros dois.

Mas o que recebera um, foi e cavou na terra e escondeu o dinheiro do seu senhor.

E muito tempo depois veio o senhor daqueles servos, e fez contas com eles.

Então aproximou-se o que recebera cinco talentos, e trouxe-lhe outros cinco talentos, dizendo: Senhor, entregaste-me cinco talentos; eis aqui outros cinco talentos que granjeei com eles.

E o seu senhor lhe disse: Bem está, servo bom e fiel. Sobre o pouco foste fiel, sobre muito te colocarei; entra no gozo do teu senhor.

E, chegando também o que tinha recebido dois talentos, disse: Senhor, entregaste-me dois talentos; eis que com eles granjeei outros dois talentos.

Disse-lhe o seu senhor: Bem está, bom e fiel servo. Sobre o pouco foste fiel, sobre muito te colocarei; entra no gozo do teu senhor.

Mas, chegando também o que recebera um talento, disse: Senhor, eu conhecia-te, que és um homem duro, que ceifas onde não semeaste e ajuntas onde não espalhaste;

E, atemorizado, escondi na terra o teu talento; aqui tens o que é teu.

Respondendo, porém, o seu senhor, disse-lhe: Mau e negligente servo; sabias que ceifo onde não semeei e ajunto onde não espalhei?

Devias então ter dado o meu dinheiro aos banqueiros e, quando eu viesse, receberia o meu com os juros.

Tirai-lhe pois o talento, e dai-o ao que tem os dez talentos.

Porque a qualquer que tiver será dado, e terá em abundância; mas ao que não tiver até o que tem ser-lhe-á tirado.

Lançai, pois, o servo inútil nas trevas exteriores; ali haverá pranto e ranger de dentes.
Mateus 25:15-30

E a um deu cinco talentos, e a outro dois, e a outro um, a cada um segundo a sua capacidade, e ausentou-se logo para longe.

E, tendo ele partido, o que recebera cinco talentos negociou com eles, e granjeou outros cinco talentos.

Da mesma sorte, o que recebera dois, granjeou também outros dois.

Mas o que recebera um, foi e cavou na terra e escondeu o dinheiro do seu senhor.

E muito tempo depois veio o senhor daqueles servos, e fez contas com eles.

Então aproximou-se o que recebera cinco talentos, e trouxe-lhe outros cinco talentos, dizendo: Senhor, entregaste-me cinco talentos; eis aqui outros cinco talentos que granjeei com eles.

E o seu senhor lhe disse: Bem está, servo bom e fiel. Sobre o pouco foste fiel, sobre muito te colocarei; entra no gozo do teu senhor.

E, chegando também o que tinha recebido dois talentos, disse: Senhor, entregaste-me dois talentos; eis que com eles granjeei outros dois talentos.

Disse-lhe o seu senhor: Bem está, bom e fiel servo. Sobre o pouco foste fiel, sobre muito te colocarei; entra no gozo do teu senhor.

Mas, chegando também o que recebera um talento, disse: Senhor, eu conhecia-te, que és um homem duro, que ceifas onde não semeaste e ajuntas onde não espalhaste;

E, atemorizado, escondi na terra o teu talento; aqui tens o que é teu.

Respondendo, porém, o seu senhor, disse-lhe: Mau e negligente servo; sabias que ceifo onde não semeei e ajunto onde não espalhei?

Devias então ter dado o meu dinheiro aos banqueiros e, quando eu viesse, receberia o meu com os juros.

Tirai-lhe pois o talento, e dai-o ao que tem os dez talentos.

Porque a qualquer que tiver será dado, e terá em abundância; mas ao que não tiver até o que tem ser-lhe-á tirado.

Lançai, pois, o servo inútil nas trevas exteriores; ali haverá pranto e ranger de dentes.
Mateus 25:15-30

E a um deu cinco talentos, e a outro dois, e a outro um, a cada um segundo a sua capacidade, e ausentou-se logo para longe.

E, tendo ele partido, o que recebera cinco talentos negociou com eles, e granjeou outros cinco talentos.

Da mesma sorte, o que recebera dois, granjeou também outros dois.

Mas o que recebera um, foi e cavou na terra e escondeu o dinheiro do seu senhor.

E muito tempo depois veio o senhor daqueles servos, e fez contas com eles.

Então aproximou-se o que recebera cinco talentos, e trouxe-lhe outros cinco talentos, dizendo: Senhor, entregaste-me cinco talentos; eis aqui outros cinco talentos que granjeei com eles.

E o seu senhor lhe disse: Bem está, servo bom e fiel. Sobre o pouco foste fiel, sobre muito te colocarei; entra no gozo do teu senhor.

E, chegando também o que tinha recebido dois talentos, disse: Senhor, entregaste-me dois talentos; eis que com eles granjeei outros dois talentos.

Disse-lhe o seu senhor: Bem está, bom e fiel servo. Sobre o pouco foste fiel, sobre muito te colocarei; entra no gozo do teu senhor.

Mas, chegando também o que recebera um talento, disse: Senhor, eu conhecia-te, que és um homem duro, que ceifas onde não semeaste e ajuntas onde não espalhaste;

E, atemorizado, escondi na terra o teu talento; aqui tens o que é teu.

Respondendo, porém, o seu senhor, disse-lhe: Mau e negligente servo; sabias que ceifo onde não semeei e ajunto onde não espalhei?

Devias então ter dado o meu dinheiro aos banqueiros e, quando eu viesse, receberia o meu com os juros.

Tirai-lhe pois o talento, e dai-o ao que tem os dez talentos.

Porque a qualquer que tiver será dado, e terá em abundância; mas ao que não tiver até o que tem ser-lhe-á tirado.

Lançai, pois, o servo inútil nas trevas exteriores; ali haverá pranto e ranger de dentes.
Mateus 25:15-30

E a um deu cinco talentos, e a outro dois, e a outro um, a cada um segundo a sua capacidade, e ausentou-se logo para longe.

E, tendo ele partido, o que recebera cinco talentos negociou com eles, e granjeou outros cinco talentos.

Da mesma sorte, o que recebera dois, granjeou também outros dois.

Mas o que recebera um, foi e cavou na terra e escondeu o dinheiro do seu senhor.

E muito tempo depois veio o senhor daqueles servos, e fez contas com eles.

Então aproximou-se o que recebera cinco talentos, e trouxe-lhe outros cinco talentos, dizendo: Senhor, entregaste-me cinco talentos; eis aqui outros cinco talentos que granjeei com eles.

E o seu senhor lhe disse: Bem está, servo bom e fiel. Sobre o pouco foste fiel, sobre muito te colocarei; entra no gozo do teu senhor.

E, chegando também o que tinha recebido dois talentos, disse: Senhor, entregaste-me dois talentos; eis que com eles granjeei outros dois talentos.

Disse-lhe o seu senhor: Bem está, bom e fiel servo. Sobre o pouco foste fiel, sobre muito te colocarei; entra no gozo do teu senhor.

Mas, chegando também o que recebera um talento, disse: Senhor, eu conhecia-te, que és um homem duro, que ceifas onde não semeaste e ajuntas onde não espalhaste;

E, atemorizado, escondi na terra o teu talento; aqui tens o que é teu.

Respondendo, porém, o seu senhor, disse-lhe: Mau e negligente servo; sabias que ceifo onde não semeei e ajunto onde não espalhei?

Devias então ter dado o meu dinheiro aos banqueiros e, quando eu viesse, receberia o meu com os juros.

Tirai-lhe pois o talento, e dai-o ao que tem os dez talentos.

Porque a qualquer que tiver será dado, e terá em abundância; mas ao que não tiver até o que tem ser-lhe-á tirado.

Lançai, pois, o servo inútil nas trevas exteriores; ali haverá pranto e ranger de dentes.
Mateus 25:15-30

Amém? 😉

E a um deu cinco talentos, e a outro dois, e a outro um, a cada um segundo a sua capacidade, e ausentou-se logo para longe.

E, tendo ele partido, o que recebera cinco talentos negociou com eles, e granjeou outros cinco talentos.

Da mesma sorte, o que recebera dois, granjeou também outros dois.

Mas o que recebera um, foi e cavou na terra e escondeu o dinheiro do seu senhor.

E muito tempo depois veio o senhor daqueles servos, e fez contas com eles.

Então aproximou-se o que recebera cinco talentos, e trouxe-lhe outros cinco talentos, dizendo: Senhor, entregaste-me cinco talentos; eis aqui outros cinco talentos que granjeei com eles.

E o seu senhor lhe disse: Bem está, servo bom e fiel. Sobre o pouco foste fiel, sobre muito te colocarei; entra no gozo do teu senhor.

E, chegando também o que tinha recebido dois talentos, disse: Senhor, entregaste-me dois talentos; eis que com eles granjeei outros dois talentos.

Disse-lhe o seu senhor: Bem está, bom e fiel servo. Sobre o pouco foste fiel, sobre muito te colocarei; entra no gozo do teu senhor.

Mas, chegando também o que recebera um talento, disse: Senhor, eu conhecia-te, que és um homem duro, que ceifas onde não semeaste e ajuntas onde não espalhaste;

E, atemorizado, escondi na terra o teu talento; aqui tens o que é teu.

Respondendo, porém, o seu senhor, disse-lhe: Mau e negligente servo; sabias que ceifo onde não semeei e ajunto onde não espalhei?

Devias então ter dado o meu dinheiro aos banqueiros e, quando eu viesse, receberia o meu com os juros.

Tirai-lhe pois o talento, e dai-o ao que tem os dez talentos.

Porque a qualquer que tiver será dado, e terá em abundância; mas ao que não tiver até o que tem ser-lhe-á tirado.

Lançai, pois, o servo inútil nas trevas exteriores; ali haverá pranto e ranger de dentes.
Mateus 25:15-30

Beijo da Titi.

Qual é o limite?

“E ao que quiser pleitear contigo, e tirar-te a túnica, larga-lhe também a capa;

E se qualquer quiser te obrigar a caminhar uma milha, vai com ele duas.”

Mateus 5.40-41

Image

Eu me pergunto qual é o meu limite. Penso que todo bem deve ser feito sem limite. Deus me fez pensar acerca de algumas situações específicas.

Antes de tudo, acredito que realmente é excelente quem consegue dar mais do que a túnica e a capa, quem caminha mais de duas milhas… esses são excelentes. Me parece que quem “apenas” larga a capa ou caminha duas milhas, o faz para cumprir a palavra como quem bate ponto ou respeita um protocolo. Quem consegue superar estes limites, realmente é especial.

Image

Vamos mais além…

Uma maneira de colocar o amor em ação é tomar iniciativa de atender necessidades específicas do próximo. O amor cristão implica em ajudar até aqueles que nos querem mal, que nos magoam.

E sem esperar recompensa. Fazer o bem a quem nada tem a nos oferecer, é amor cristão altruísta. (Um investimento garantido com juros, rs.)

Image

“A cortesia é irmã da caridade, que apaga o ódio e fomenta o amor.” – Francisco de Assis.

Sempre que escrevo, escrevo pra mim. Eu precisava muito dessa lição.

Amém? 😉

Beijo da Titi.

E, ao que quiser pleitear contigo, e tirar-te a túnica, larga-lhe também a capa;E, se qualquer te obrigar a caminhar uma milha, vai com ele duas.
Mateus 5:40-41

Sobre a dor

“Para cada dia de vergonha, dupla honra”.

– Tudo passa, tudo passará…

E nossa história não estará pelo avesso
Assim, sem final feliz.
Teremos coisas bonitas pra contar.

E até lá, vamos viver
Temos muito ainda por fazer
Não olhe pra trás
Apenas começamos.

(Metal contra as Nuvens)

Image

Lembrei de Jó. E das coisas que sobrevieram sobre ele.

Mas, observei que desde o início, Deus quis nos dar uma lição. A Jó, seus amigos, sua esposa, e até mesmo a Satanás… Quando este procura ao Senhor, dizendo que estava a andar sobre a Terra e passear por ela, é Deus que o insta a observar Jó:

E disse o SENHOR a Satanás: Observaste tu a meu servo Jó? Porque ninguém há na terra semelhante a ele, homem íntegro e reto, temente a Deus, e que se desvia do mal.”
Jó 1:8

Somente com a permissão de Deus, o diabo ataca Jó. Primeiro seus bens materiais, em seguida sua família e finalmente o seu corpo. Jó não esmoreceu, e desta forma Satanás não conseguiu o queria: Tocar em sua alma.

Quando o inimigo foi diante do Senhor acusar Jó, seu intento era fazer o servo de Deus desviar-se do caminho e perder a sua alma. No entanto, como sempre, ele perdeu. Jó tinha bases firmes no Senhor.

Quando lemos Jó, estudamos o sofrimento justo. Diante das nossas aflições, que algumas (muitas) vezes  não se comparam ao que aconteceu a este personagem, questionamos Deus, nossa fé no Senhor esmorece.

Nós questionamos, mas não temos as respostas!

Apenas Deus conhece o porquê dos acontecimentos, e precisamos submeter-nos à sua soberania. Devemos confiar em Deus, não importando o que possa acontecer. Devemos saber que quando não nos restar mais nada além de Deus, Ele é suficiente.

jó2

Em relação ao verso do topo, lembrei do fim da história de Jó. (E nossa história não estará pelo avesso / Assim, sem final feliz. / Teremos coisas bonitas pra contar).

E o SENHOR virou o cativeiro de Jó, quando orava pelos seus amigos; e o SENHOR acrescentou, em dobro, a tudo quanto Jó antes possuía.
Então vieram a ele todos os seus irmãos, e todas as suas irmãs, e todos quantos dantes o conheceram, e comeram com ele pão em sua casa, e se condoeram dele, e o consolaram acerca de todo o mal que o SENHOR lhe havia enviado; e cada um deles lhe deu uma peça de dinheiro, e um pendente de ouro.
E assim abençoou o SENHOR o último estado de Jó, mais do que o primeiro; pois teve catorze mil ovelhas, e seis mil camelos, e mil juntas de bois, e mil jumentas.
Também teve sete filhos e três filhas.
E chamou o nome da primeira Jemima, e o nome da segunda Quezia, e o nome da terceira Quéren-Hapuque.
E em toda a terra não se acharam mulheres tão formosas como as filhas de Jó; e seu pai lhes deu herança entre seus irmãos.
E depois disto viveu Jó cento e quarenta anos; e viu a seus filhos, e aos filhos de seus filhos, até à quarta geração.
Então morreu Jó, velho e farto de dias.”
Jó 42:10-17

Se alguém que ler essas palavras estiver aflito, Deus no tempo d’Ele, não no nosso, vai virar o seu cativeiro.

Teremos coisas bonitas pra contar!

Amém? 😉

Beijo da Titi.

Ai ai ai…

Por isso o reino dos céus pode comparar-se a um certo rei que quis fazer contas com os seus servos;

E, começando a fazer contas, foi-lhe apresentado um que lhe devia dez mil talentos;

E, não tendo ele com que pagar, o seu senhor mandou que ele, e sua mulher e seus filhos fossem vendidos, com tudo quanto tinha, para que a dívida se lhe pagasse.

Image

Então aquele servo, prostrando-se, o reverenciava, dizendo: Senhor, sê generoso para comigo, e tudo te pagarei.

Então o senhor daquele servo, movido de íntima compaixão, soltou-o e perdoou-lhe a dívida.

Saindo, porém, aquele servo, encontrou um dos seus conservos, que lhe devia cem dinheiros, e, lançando mão dele, sufocava-o, dizendo: Paga-me o que me deves.

Então o seu companheiro, prostrando-se a seus pés, rogava-lhe, dizendo: Sê generoso para comigo, e tudo te pagarei.

Image

Ele, porém, não quis, antes foi encerrá-lo na prisão, até que pagasse a dívida.

Vendo, pois, os seus conservos o que acontecia, contristaram-se muito, e foram declarar ao seu senhor tudo o que se passara.

Image

Então o seu senhor, chamando-o à sua presença, disse-lhe: Servo malvado, perdoei-te toda aquela dívida, porque me suplicaste.

Não devias tu, igualmente, ter compaixão do teu companheiro, como eu também tive misericórdia de ti?

Image

E, indignado, o seu senhor o entregou aos atormentadores, até que pagasse tudo o que devia.

Image

Mateus 18:23-34

A Parábola do credor incompassivo fala sobre Perdão. Especificamente: Se alguém quiser ser perdoado, antes precisa perdoar.

Isso é óbvio para nós. (É né?) O perdão é um tema extenso, por isso vamos até aqui. A questão é outra…

Um ponto que me chama atenção é a questão do exemplo. Aquele homem é adepto do ditado furado: “Faça o que eu digo, mas não faça o que eu faço.”

Ele é incoerente.

Seu discurso não está de acordo com suas ações. “Suas idéias não correspondem aos fatos.” Nossa palavra deve concordar com nossas atitudes. “A palavra convence, mas o exemplo arrasta.”

Image

Amém? 😉

Beijo da Titi.

O Patinho Feio

Certa vez. . . há muitos anos, num espaçoso terreiro, onde viviam diversas aves, dona patinha muito simpática estava chocando a sua ninhada.

Um dia começaram a quebrar. . .crac! crac!

Uma a um, os patinhos iam saindo. . .

Mas, que pena!

Ainda faltava um, que nem sequer havia picado o ovo.

Lá foi dona patinha, novamente para o choco.

E dona pata, voltou ao seu ninho.

Que fazer, a espera de mais um filho, que custava pra nascer.

De repente, partiu-se o ovo!

Mas que patinho feio!!!!

Senhor pato, muito curioso, foi ver a sua ninhada!

Que surpresa!

Mas aquele, não fazia parte de sua ninhada. Senhor pato, ficou muito bravo.

Passada uma semana, lá foi mamãe pata no seu balanço natural para as margens do lago, seguida de seus filhotes em fila.

Ela pulou na água e o mesmo fizeram eles.

Nadaram o dia todo, em giro pelo lago,

levantando pequenas ondas por onde passavam.

Numa manhã ensolarada, mamãe pata saiu com os filhotes para um passeio, quando ouviu outros patos gritarem:

– Mas como é feio aquele patinho!

E o patinho, nem bola dava. Seguia sua mãe e irmãozinhos.

Mas, pobre patinho, nem sua mãe e nem seus irmãozinhos queriam saber dele.

Aproximou-se do lago e, ao ver-se refletido na água,levou um susto!

Que feiúra!

Desconsolado e triste, saiu a procura de alguém, que pudesse ser seu amigo.

Caminhando, encontra uma família de passarinhos e tentou fazer amigos, mas sua alegria durou pouco.

Dona passarinha, não gostou do novo hóspede e enxotou-o do ninho.

Sozinho, continua caminhando, quando de repente, no lago, ele avista um enorme pássaro.

Correu e nadou até ele.

A princípio, parecia ser um bom amigo.

Brincaram bastante, quando de repente, foi atingido pelo pato de madeira, que balançava na água.

Levou tamanho susto que foi parar atrás das folhagens.

Triste, novamente sai nadando.

O tempo ia passando e a rotina era a de sempre.

Com a chegada do outono, as folhas das árvores começaram a ficar amareladas e foram caindo, espalhando-se pelo chão. Foi quando olhando para o céu, viu uma revoada de cisnes brancos.

– Que lindo e como voam!

Olhem só, mas que surpresa!

O que está acontecendo!

Não acreditando, foi olhar a sua imagem refletida no lago.

– Ora essa, que surpresa, eu sou um cisne também!

E nesse instante, feliz e levantando o lindo e belo pescoço, saiu nadando e cantando para junto de sua mãezinha.

Conto de Hans Christian Andersen

Aqui, eu começo…

Nasceu aqui em casa, nesses dias, um filhote de Calopsita. Eu nunca tinha visto o filhote. Então, quando eu o vi, logo escapuliu:

– Como é feio! – Sou espontânea demais.

Image

Ele ou, ela estava com a aparência um pouco pior do que os filhotes da foto. Mas, de imediato, me lembrei da história do Patinho Feio. Que todo mundo conhece. Porque depois, pelo menos para mim, as calopsitas ficam lindas…

Fiquei incomodada e comecei a meditar em várias coisas…

Uma delas: Como nós julgamos pelas aparências! E não estou falando de estética. A questão é mais profunda aqui…

Nós adotamos critérios para classificar as pessoas, sem termos autoridade para isso. Estou falando no que tange à cristandade. (Propriedade do que é cristão. Fé do cristão).

Por causa da aparência, atitudes, frequência na igreja, envolvimento na obra, observando essas coisas, nós achamos que podemos definir “quem é mais ou menos cristão.”

Agindo assim, não estamos sendo diferentes dos Fariseus…

Só Deus sonda os nossos corações… Só Ele sabe quem é seu discípulo de verdade, quem realmente foi transformado pelo Seu Amor.

Agimos como os patinhos, excluindo o irmão porque com os nossos olhos carnais concluímos que Fulano não é tão cristão, ou “está na carne.” E, às vezes, nos aproximamos de irmãos que não estão na Graça de Deus, porque na aparência está “tudo certinho.”

Como nada fica em oculto, Deus sempre nos mostra os “cisnes.”

Os “cisnes de Deus” têm o coração contrito e aquebrantado. Foram completamente transformados pelo amor de Jesus.

Image

“Meus irmãos, não tenhais a fé de nosso Senhor Jesus Cristo, Senhor da glória, em acepção de pessoas.

Porque, se no vosso ajuntamento entrar algum homem com anel de ouro no dedo, com trajes preciosos, e entrar também algum pobre com sórdido traje,

E atentardes para o que traz o traje precioso, e lhe disserdes: Assenta-te tu aqui num lugar de honra, e disserdes ao pobre: Tu, fica aí em pé, ou assenta-te abaixo do meu estrado,

Porventura não fizestes distinção entre vós mesmos, e não vos fizestes juízes de maus pensamentos?

Ouvi, meus amados irmãos: Porventura não escolheu Deus aos pobres deste mundo para serem ricos na fé, e herdeiros do reino que prometeu aos que o amam?

Mas vós desonrastes o pobre. Porventura não vos oprimem os ricos, e não vos arrastam aos tribunais?

Porventura não blasfemam eles o bom nome que sobre vós foi invocado?

Todavia, se cumprirdes, conforme a Escritura, a lei real: Amarás a teu próximo como a ti mesmo, bem fazeis.

Mas, se fazeis acepção de pessoas, cometeis pecado, e sois redargüidos pela lei como transgressores.”

Tiago 2:1-9 (Bíblia Online)

Vou trabalhar nisso. Menos preconceito e julgamentos.

Graça e Paz!

Amém? 😉

Beijo da Titi.

Olhe para a vertical

O que eu tenho a dizer sobre a passagem que vou comentar neste post… Na verdade, muitas coisas. É um texto muito rico. A palavra de Deus sempre se renova, e cada vez que leio a Bíblia me surpreendo com revelações diferentes em passagens que já li várias vezes.

Talvez o ponto de vista que vou apresentar não seja novidade pra você. A mim surpreendeu.

Os quatro homens que ajudavam o paralítico eram no mínimo, pessoas que têm uma capacidade muito exigida nos dias de hoje: a capacidade de pensar “fora da caixinha.” A multidão não os intimidou, não os fez desistir, desanimar. Encontraram uma solução inusitada.

Foram ousados.

Foram altruístas, porque com certeza aquele paralítico não tinha nada para lhes oferecer. O único interesse deles era a cura e a vitória do próximo. E mesmo assim, sabendo que a bênção não era para eles mesmos, não desistiram diante da multidão. Esses quatro homens não olhavam só para o próprio umbigo…

Eles saíram da zona de conforto, que é a horizontal e olharam para cima! E no alto estava a solução.

Tudo isso por um único motivo. Grande motivo, no entanto. Eles criam! Eles tinham fé! Fé que chamou a atenção de Jesus.

Olharam para o alto! Olharam para Deus. Sempre que olhamos para Deus, pedindo socorro ou, uma solução, Ele nos atende!

É isso. Aqueles quatro homens tinham Fé e Amor. Amor a Deus sobre todas as coisas e ao próximo como a si mesmo.

Image

Em todo o tempo ama o amigo e para a hora da angústia nasce o irmão.

Segue o texto bíblico para meditação:

E alguns dias depois entrou outra vez em Cafarnaum, e soube-se que estava em casa.E logo se ajuntaram tantos, que nem ainda nos lugares junto à porta cabiam; e anunciava-lhes a palavra.

E vieram ter com ele conduzindo um paralítico, trazido por quatro.

E, não podendo aproximar-se dele, por causa da multidão, descobriram o telhado onde estava, e, fazendo um buraco, baixaram o leito em que jazia o paralítico.

E Jesus, vendo a fé deles, disse ao paralítico: Filho, perdoados estão os teus pecados.

E estavam ali assentados alguns dos escribas, que arrazoavam em seus corações, dizendo:

Por que diz este assim blasfêmias? Quem pode perdoar pecados, senão Deus?

E Jesus, conhecendo logo em seu espírito que assim arrazoavam entre si, lhes disse: Por que arrazoais sobre estas coisas em vossos corações?

Qual é mais fácil? dizer ao paralítico: Estão perdoados os teus pecados; ou dizer-lhe: Levanta-te, e toma o teu leito, e anda?

Ora, para que saibais que o Filho do homem tem na terra poder para perdoar pecados (disse ao paralítico),

A ti te digo: Levanta-te, toma o teu leito, e vai para tua casa.

E levantou-se e, tomando logo o leito, saiu em presença de todos, de sorte que todos se admiraram e glorificaram a Deus, dizendo: Nunca tal vimos.
Marcos 2:1-12

O Texto nos diz muito mais, né?
Beijo da Titi.